Embaixada de Portugal em França

Ministério dos Negócios Estrangeiros

Assinatura de Declaração Conjunta sobre o ensino de português e de francês

S.Exª. o Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, assinou ontem em Paris com sua homóloga francesa uma declaração conjunta para o reforço da cooperação bilateral no ensino do francês e do português.

20160725 NajatVB France Portugal Rencontre web 720x480

©Philippe Devernay/MENESR 

20160725 NajatVB France Portugal Signature web 720x480

©Philippe Devernay/MENESR 

"Os Ministros da Educação da França e do Portugal, Najat Vallaud-Belkacem e Tiago Brandão Rodrigues, assinaram esta tarde, em Paris, uma “Declaração” política, igualmente assinada pelo Ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, destinada a reforçar a cooperação bilateral no domínio da língua.

Esta assinatura ocorre no quadro dos laços de amizade e confiança que unem ambos os países e, também, no atual contexto político, particularmente intenso e dinâmico, como o demonstram a recente troca de visitas ao mais alto nível que ambos os países acolheram.

Esta “Declaração Conjunta” traduz, antes de mais, uma forte vontade política, uma vez que inaugura uma nova e ainda mais ambiciosa etapa de promoção recíproca do ensino do português e do francês nos sistemas educativos de ambos os países. Na verdade, o francês e o português apresentam uma mesma dimensão internacional enquanto línguas de trabalho, de comunicação e de cultura, constituindo pois um instrumento comum cujo valor encontra resposta na ambição desta declaração conjunta.

É neste quadro que, em França, ocorre a substituição do “Ensino de Língua e Cultura de Origem” (ELCO) por um novo dispositivo de “Ensino Internacional de Línguas Estrangeiras” (EILE), tendo Portugal aceite ser parceiro da França neste projeto pioneiro, que começará a ser aplicado já no ano letivo de 2016/17. O objetivo principal desta evolução é de grande importância, uma vez que consolida o português como língua viva estrangeira no sistema educativo francês, permitindo, a todos os alunos que o queiram, começarem a aprender português desde o “premier degré” e terem a garantia que o poderão continuar no “second degré”, encorajando assim uma aprendizagem mais longa, mais profunda e mais integrada da língua portuguesa.

Este objetivo de continuidade é igualmente essencial para captar ainda mais alunos para a aprendizagem do português ao longo do “second degré”, continuidade essa que encontra resposta no sistema educativo português, no qual o francês é já a segunda língua estrangeira mais ensinada.

A partir do trabalho  que conduziu à assinatura desta “Declaração Conjunta”, ambos os Ministros concordaram que seja celebrado até ao fim do ano um novo acordo de cooperação educativa."

 

Partilhar:

FacebookTwitterGoogle +E-mail